quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Análise: Justiceiro MAX: Rei do Crime


Este mês a Panini lançou para o mercado português um livro de capa dura do Justiceiro MAX, escrito por Jason Aaron e Steve Dillon na arte.

Livro este de excelente qualidade com uma capa bastante boa e qualidade do papel muito superior ao que estamos habituados no mercado português.



A tradução está boa, apenas com duas ou três palavras/frases com gíria do Brasil. Nada que seja demasiado relevante para os leitores habituados a ler BD importada do Brasil especialmente em 124 páginas.



Quanto ao livro em si, é um livro que faz jus a marca "MAX", com muita violência e linguagem forte como nos foi habituando ao longo dos anos.

Jason Aaron continua o legado de Garth Ennis para a derradeira saga do Justiceiro sob o manto MAX.
 

Os chefes das familias mafiosas mais poderosas planeiam eliminar o Justiceiro através da criação de um personagem fictício chamado "Rei do Crime", que será uma armadilha montada para distrair o Justiceiro e eliminá-lo. 
Para isso usam o Wilson Fisk, guarda costas de Rigoletto, para interpretar este suposto "Rei do Crime".

Este primeiro volume é muito focado em Fisk e na sua ascenção como "Rei do Crime", onde o escritor nos mostra situações traumáticas do passado do personagem e mostrando-nos as suas motivações e tudo o que está disposto a sacrificar da sua vida pessoal por este estatuto de "Rei do Crime".

O Justiceiro bastante activo, tortura e executa todos no seu caminho, procurando informações sobre este suposto "Rei do Crime".


Steve Dillon tem uma arte inconfundível, odiado por muitos e amado por outros tantos. As cenas de violência desenhadas por ele são impressionantes.

As cores de Hollingsworth dão um "empurrão" extra para a qualidade "questionável" de Dillon.


Este livro é aconselhado a todos os que gostam de uma boa história de acção, violencia e provavelmente para todos os que amam o clássico "Scarface" de Al Pacino.
Não que seja uma história idêntica mas sim, pelo facto de ser a ascenção de um criminoso que começou do nada e que quer chegar ao topo.

Fiquei muito supreendido por este lançamento da Panini para o nosso mercado e espero que continuem a lançar a continuação desta saga, dita por muitos como a "derradeira" história do Justiceiro.



PONTUAÇÃO: 8 / 10






Comente com o Facebook:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente