quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Análise: Justiceiro #3 (2016) De Becky Cloonan e Steve Dillon


Após os eventos da revista passada, o Punisher continua a por fim há organização e a todos os seus intervenientes que fazem a distribuição da droga EMC.

Até ao momento este é o melhor número. Com base no enredo e na própria acção. 

O enredo avança e Face está a recrutar soldados para testar a nova droga EMC2, que é ainda mais eficaz que a original.

Neste número vemos Frank deixando pistas para a DEA como se estivesse a fazer o jogo do gato e do rato. Até ao momento ele está uns passos a frente da investigação levada a cabo pelos agentes Ortiz e Henderson.


Becky Cloonan já nos habituou a termos muita acção na sua história, este número não desilude, até pelo contrário é ainda mais surpreendente.
O Justiceiro faz um ataque directo a um dos laboratórios que desenvolvem a EMC, que é guardada por alguns lacaios de Josiah, o homem que armou a sua filha com uma bomba para servir de último reduto para atacar o Frank caso o resto falhe.



Neste número, Becky Cloonan explora um pouco da humanidade de Frank Castle quando ele interaje com a filha de Josiah, pela fisionomia da personagem, assemelha-se muito com Lisa Castle, a falecida filha de Frank.
Será interessante ver o Frank interagir com a pequena rapariga.





Um dos pontos altos deste número foi o regresso da Battlevan! Passaram-se muitos anos sem podermos ver a carrinha mais artilhada e bem equipada no universo Marvel.



O desenhista Steve Dillon continua a garantir altos índices de qualidade superando tudo o que já vi que foi trabalhado por ele até ao momento. A sua arte está muito mais refinada, se compararmos com os Thunderbolts e Justiceiro MAX de Aaron.

A ajuda de Frank Martin a colorir esta saga tem ajudado bastante a arte de Dillon, esta parceria está a ser um sucesso até ao momento.


Declan Shalvey o desenhista das capas desta saga, mais uma vez está de parabéns pela forma artística de como concebeu a capa deste número.






A capa variante deste número é fantástica e foi criada pela própria escritora Becky Cloonan, que não só escreve, como também é uma desenhista bastante talentosa.


Capa variante de Becky Cloonan

Com três número lançados até agora, tem sido uma viagem muito agradável. Becky Cloonan não complica. A história é simples e repleta de acção com muitos corpos a tombar há passagem do "furacão" Frank Castle.
A arte de Dillon melhor que nunca e, é tudo o que precisamos para ter uma história de qualidade. Vamos esperar para ver se esta equipa creativa consegue manter este nível. Esperemos que sim.



PONTUAÇÃO GERAL: 8 / 10


Comente com o Facebook:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente