segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Análise: Punisher #5 & #6




Becky Cloonan, Steve Dillon. Steve Dillon,
Frank Martin, Declan Shalvey e Jordie Bellaire   
Já fazia algum tempo que não me entretia tanto com uma BD do Punisher. Cloonan e Dillon fornecem muita acção e violência para satisfazer o "fanboy" que existe em mim.


Frank continua a destruir a organização de Condor que está a produzir a droga EMC. Frank acaba a sua pista num asilo onde encontra Ortiz, que por sua vez, descobre que o seu parceiro Henderson foi capturado por Face. Frank e Ortiz unem-se para desmantelar a organização de Condor. A cereja no topo do bolo é que o asilo está cheio de dementes drogados pela "super" EMC.



Becky Cloonan fez um excelente trabalho neste número. Cloonan não complica na sua escrita. O Punisher não é um personagem complexo em termos literários e Cloonan sabe disso.

Outro ponto que merece ser mencionado é a falta do habitual monólogo interno do Punisher. Mas como este número teve acção de cortar a respiração, pessoalmente, não senti a falta.



A arte de Steve Dillon neste número é impressionante devido há maior exigência e dinâmica da própria história. Podemos ver painéis muito bem desenhados e muita violência nas cenas de acção que o próprio Dillon nos acostumou durante tantos anos. Tive momentos em que pensei que estava a ler uma história do universo MAX em vez do universo regular da Marvel.



Frank Martin foi uma ajuda preciosa há arte de Dillon. As suas cores deram muita vida aos painéis de Dillon. Especialmente nas partes com maior envolvimento de cor.



Declan Shalvey e Jordie Bellaire foram os criadores desta capa, e apesar de  não  corresponder ao que se passa na história, esta dupla já nos mostrou grande qualidade nas capas que produz.





PONTUAÇÃO GERAL: 8.5 / 10




(W) Becky Cloonan / (A) Steve Dillon /
(C) Frank Martin
Este número será recordado com grande pesar. Infelizmente, este foi o último número de Steve Dillon em vida. Um artista ainda jovem que deu muito ao universo da banda desenhada. Mais para a frente irei dedicar um tributo ao seu trabalho.

Depois do último número ter sido frenético com acção do principio ao fim, este, mais virado para o desenvolvimento da história onde o passado de Frank como "marine" é explorado onde vemos Olaf e como as suas vidas se cruzaram com mercenários pertencentes a Condor. Um dos responsáveis pela criação da droga EMC.
Por outro lado temos a Agente Ortiz a lidar com a morte do seu falecido parceiro e 

Becky Cloonan esteve bem em contar um pouco do enredo em torno das operações de Condor.
Também ficamos a saber um pouco do lado humano de Frank Castle enquanto "marine" e  como era honrado e justo.

Na parte creativa Steve Dillon mais uma vez fez um excelente trabalho, desta vez não tendo um trabalho tão exigente como no último número, contudo, manteve-se fiél ao que nos tem habituado até aqui.
A última página foi simplesmente fenomenal, juntamente com a ajuda das cores de Frank Martin, tornaram numa das páginas mais épicas até aqui. (ver ao lado)

Declan Shalvey e Jordie Bellaire fizeram um bom trabalho com a capa deste número. Desta vez a capa acerta no conteúdo da próprio livro. Graficamente nada apontar a esta dupla de artistas que continua a dar cartas nesta saga do Punisher.

Conclusão: Esta saga parece não perder o gás, e continua a manter um bom nível de qualidade. A acção decresceu, mas em prol de um pouco de desenvolvimento da estória desta saga.





Pontuação Geral: 7.5 / 10





Comente com o Facebook:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente